segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Até ao Fim

Tenho saudades do que fui...
na esperança do que serei,
e naquilo que ainda sou.

Foge de mim o tempo...
eu corro apressado.

Os passos cegam a noite,
a lua emudeceu...
já vejo as trevas
em negras colinas,
que me humilham,
secam, desprezam...

QUERO-TE...
e morro.

Francisco Mota, Setembro de 2010


2 comentários:

Saulo Taveira disse...

Vejo aqui escritas, algumas de minhas angústias...
Que possa resolver.

Abraços. Boa semana.

Moonlight disse...

Amigo meu,

Palavras aflitas...apesar de bonitas.
Vive-te!

Bjinho cheio de luar